Como os novos meios de pagamento vão impactar o varejo brasileiro

Como os novos meios de pagamento vão impactar o varejo brasileiro

Inovação nos meios de pagamentos trará benefícios para consumidores e estabelecimentos comerciais. Você já está preparado? Confira A maneira como pagamos está mudando drasticamente. Mais e mais consumidores estão usando dispositivos conectados, smartphones e outros meios digitais para pagar e receber pagamentos; ao mesmo tempo, novas tecnologias e um número crescente de players da indústria estão transformando as experiências de pagamento de uma forma fascinante. Em nossas conversas com participantes do ecossistema de pagamento, certos tópicos relacionados a desafios e oportunidades para consumidores e estabelecimentos comerciais estão sempre presentes. Primeiro: é indubitável que as expectativas dos consumidores estão cada vez mais altas. Velocidade, segurança e simplicidade nunca foram tão importantes. Eles querem uma experiência de pagamento fluida para comprar os produtos e serviços de sua preferência, seja como for: presencialmente; on-line, usando o dispositivo de sua preferência; ou fazendo os pedidos on-line e retirando os produtos pessoalmente. Além disso, estão em busca de benefícios adicionais, que podem estar relacionados a programas de fidelidade ou outras recompensas. Segundo: da perspectiva dos estabelecimentos comerciais, é fundamental desenvolver as melhores experiências para os consumidores, em múltiplos canais. O sucesso de uma empresa, das receitas às margens, depende de ela melhorar as formas como seus produtos e serviços são oferecidos e de criar experiências de pagamento sem atrito. Entre as principais oportunidades a serem exploradas pelos estabelecimentos comerciais hoje estão melhorar e simplificar os processos de pagamento em lojas físicas e virtuais e traçar planos para incorporar funcionalidades digitais com ofertas relevantes para os consumidores. Isso inclui habilitar o comércio por contexto, gerar conversas com varejistas em aplicativos de mensagem instantânea para viabilizar...
Saiba calcular o giro de estoque

Saiba calcular o giro de estoque

O giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado, sendo calculado pela fórmula mostrada abaixo:             Quanto menor for o estoque em relação à projeção de vendas teremos menor cobertura de estoque em dias, semanas, etc.. Isto significa que se corre o risco de faltar mercadoria para atendimento ao cliente quando a cobertura de estoques for baixa, mas, no caso contrário, com índice de cobertura muito alto,  também se corre o risco de ter estoques obsoletos em face das mercadorias “saírem de moda” ou perderem qualidade com o tempo de exposição na loja ou permanência em depósito. Compartilhe...
Como transformar dados em informações relevantes

Como transformar dados em informações relevantes

As empresas têm dados aos montes. Difícil, é tirar informação deles. A concorrência entre produtos é cada vez maior em supermercados. Por isso, tanto indústria quanto distribuidores precisam estar atentos a diversos indicadores que mostram como está a atuação da marca no ponto de venda. São critérios como preço, presença, número de frentes, produtos danificados ou próximos da data de validade e índice de ruptura, entre outros. Fazer a coleta de todas essas informações de forma manual é possível. Entretanto, atualmente existem softwares de trade marketing que facilitam a vida para gestores e promotores de vendas. Sem a tecnologia, o processo se torna muito mais lento e trabalhoso – o promotor coleta os dados em uma folha de papel e, no final do dia, compila as informações em uma planilha e envia para seu supervisor.Ter esses dados escritos em planilhas estáticas demanda tempo dos gestores na produção de relatórios. Algumas empresas, com grandes equipes de campo, chegam a levar de 7 a 15 dias para consolidar um relatório de ruptura ou preços, por exemplo. Será que este dado servirá realmente para uma tomada de decisão? O que é um preço de sete dias atrás? Os gestores precisam de velocidade para que possam realizar ações combativas em tempo hábil. Um problema ainda maior e bastante comum é exigir o preenchimento destas informações por parte da equipe apenas para tê-las arquivadas – sem analisar de fato o que os dados revelam. Isso não traz nenhum tipo de ganho para a empresa. Por isso, é fundamental o uso de softwares de gestão de trade marketing. Com um smartphone, as informações coletadas pela...
CRM online da Microsoft otimiza performance de equipes de vendas

CRM online da Microsoft otimiza performance de equipes de vendas

A boa gestão de qualquer carteira de clientes passa, inevitavelmente, por uma escolha acertada da ferramenta de CRM (Customer Relationship Management, ou Gerenciamento de Relacionamento com o Cliente, em português) que será utilizada. Um CRM eficiente pode ajudar a reduzir custos e aumentar a lucratividade através da organização e automação dos processos de negócios que gerenciam a fidelidade e a satisfação do cliente nas áreas de vendas, marketing e atendimento ao cliente. Foi pensando nisso que a Microsoft lançou o Microsoft Dynamics CRM Online. A solução foi pensada para ajudar sua empresa a ampliar as vendas e tornar o marketing mais eficaz, por meio de insights sociais, business intelligence e gerenciamento de campanhas, seja na nuvem, seja em local físico ou usando uma combinação híbrida. A ferramenta também oferece aplicativos de CRM em dispositivos móveis e em diferentes plataformas, que permitem que você gerencie o relacionamento com seus clientes de qualquer lugar, além de ferramentas que integram dados e relatórios das mídias sociais diretamente em seu aplicativo de CRM. Com o Microsoft Dynamics CRM Online, a performance da equipe de vendas é otimizada, dada a facilidade com que passa a ser possível acessar os dados dos clientes. Mas a ferramenta não oferece soluções apenas para essa área específica, mas também para varejo, marketing, social, serviços, atendimento ao cliente, fabricação, serviços financeiros e setor público. Para mais informações sobre o produto e baixar uma versão de teste, acesse: http://www.microsoft.com/pt-br/dynamics/crm-test-drive.aspx. Compartilhe...
Inovação em mini mercado de bairro

Inovação em mini mercado de bairro

Sempre ouvimos falar que o mercado está inchado, a competição está extremamente acirrada, seu negócio se encaixa neste perfil? Como se diferenciar? Pequenas inovações geram GRANDES resultados. Conheça o caso do Armazém La Boqueria de Porto Alegre. Um pequeno comércio de bairro de administração familiar mudou seu layout criando um ambiente para lanches rápidos frente a uma bela vitrine para o bairro, o investimento foi baixo e o resultado foi espetacular. Uma simples formatação aumentou o fluxo, inclusive de novos clientes, o faturamento. Seu negócio é tradicional? Busque diferenciais que agreguem valor sempre de olho no Ambiente, abastecimento e atendimento. Boas Vendas. Compartilhe...
5 tendências do varejo na era digital

5 tendências do varejo na era digital

Os americanos Brian Dyches, presidente internacional do Retail Design Institute, e Bryan Meszaros, diretor-geral da consultoria OpenEye, são especialistas em varejo na era digital. Eles apresentaram as tendências no uso da tecnologia na sexta-feira (1), durante a 13ª Convenção ABF do Franchising, na Praia do Forte, em Mata de São João (BA). Veja as tendências que eles apresentaram: 1. O cliente no poder A tecnologia não deve ser adotada só porque é uma novidade ou porque parece incrível. O cliente deve se sentir no controle dela. “O consumidor está acostumado com a comunicação 24 horas por dia, sete dias por semana, usando dispositivos móveis”, diz Meszaros. Um exemplo são os provadores virtuais e as tecnologias que ajudam o consumidor a ter contato com o produto. 2. Interação sempre Segundo Dyches, um dos maiores erros do varejista é investir em sinalização digital, mas sem interatividade. O consumidor espera interagir sempre. “Uma tendência é que os clientes tenham a possibilidade de controlar um telão por meio dos seus celulares ou tablets, e não por touchscreen. Eles se comunicam pelo dispositivo com o qual estão familiarizados”, afirma Meszaros. 3. A nova sinalização Segundo o especialista, telões e painéis são tão comuns que estão quase sendo considerados como mídia tradicional. O segredo ao usá-los é avaliar bem sua comunicação com o ambiente. “Eles devem ser incorporados, ser parte do ‘sabor’ do lugar”, afirma Dyches. 4. Arquitetura digital As tendências digitais incluem mudanças na arquitetura dos espaços. Para receber as novas tecnologias, a acústica dos espaços precisa ser estudada. Em lojas, é possível instalar alto-falantes unidirecionais no teto, de forma que uma mensagem sonora...