4 ferramentas essenciais para multiplicar suas vendas usando a Base (CRM)

Ao fazer uma compra em uma loja geralmente na hora do pagamento o caixa pergunta “Posso fazer seu Cadastro” e você pela décima quinta vez fornece os 50 itens que o infeliz pergunta, mesmo falando seu nome novamente pela terceira vez já que o Vendedor Comodity que te atendeu se esqueceu e já foi atender outro cliente, afinal você foi buscar apenas um par de meias…. logo então não mereceu a atenção dele, (mesmo possuindo um cartão sem limite) o vendedor nunca ia imaginar, afinal mal perguntou seu nome! Depois disso você vai pra casa e eventualmente recebe alguma promoção massificada por email da Loja e acaba colocando pra SPAM porque não é de seu interesse promoção de cosméticos. “O varejo não conhece seu cliente, as marcas e lojas não tem um relacionamento aberto e multicanal. Os bancos de dados são usados raramente e a maioria é propaganda massificada, sem direcionar a comunicação pro perfil correto.” 20% dos vendedores do varejo são vendedores de fato, mantem relacionamento com o cliente e formam sua cartela fiel. Estes ganham muito bem (vendedores do varejo chegam a ganhar mais R$7000,00 por mês). O resto segue o roteiro Comodity, não gosta do que faz ou esta cansado de trabalhar final de semana e atende como na história do inicio do artigo. As empresas perdem, o consumidor perde, o vendedor perde. O maior culpado são as empresas que não treinam da forma correta suas equipes, é essencial a participação e boa vontade de todos em coletar todos os dados do cliente, o CRM no varejo é a maior joia da empresa, mas não basta...

10 dicas de como treinar sua equipe de vendas pra Quebrar tudo no Natal

Vivemos uma época de grande velocidade de transformações. Neste contexto mutável, proliferam mitos organizacionais a exigir perfis e personalidades definidas para determinada função. A maioria dos “gurus” afirma que uma pessoa comum não conseguiria nunca ser um bom vendedor. Então, os testes para a contratação procuram identificar a discursividade, ambição, proatividade, verificar a “taxa de testosterona” para buscar e contratar somente aqueles que são bons de combate, ou seja: buscam-se pitbulls. Eles teriam a “base” perfeita para a ação. Mas, será que é fácil lidar com um animal feroz e indócil em suas equipes? Alguém cujo gosto pela competitividade extrapole limites éticos? Que talvez não hesitasse em colocar em risco o faturamento ou a equipe só para não perder uma parada? Ou se desmotivasse logo com a rotina da empresa (ou do gerente), espalhando o vírus do pessimismo? Pois bem! Então não se trata de uma questão de forma, mas de conteúdo: Como identificar as pessoas certas, para desempenhar um papel definido? Além disso, temos a problemática do treinamento, do compromisso, das relações hierárquicas, da satisfação do cliente. A construção do valor deve orientar nossos passos. Se comportamentos podem ser medidos, em condições de laboratório, avaliar consciências é difícil. Por isso, devemos refletir muito para escaparmos à contradição, em nosso esforço de montar uma equipe campeã. Um erro comum é ostentarmos dois tipos de discursos: Um que valoriza a capacidade de superação: Acredite em Você! Desenvolva suas capacidades! Você pode vencer! E outro, mais pragmático e, porque não, míope, que afirma: Este não serve, não nasceu para vender! Não estou aqui para ensinar ninguém! Mas… Nossa personalidade é construída...

Não dependa apenas dos vendedores! Automatize o Relacionamento!

  [LINK] O Marketing Multicanal está a se tornando uma necessidade premente, tal é o crescimento do número de canais disponíveis para comunicar. Estamos numa era em que vivemos praticamente online. Quantas vezes costuma usar o seu o telefone fixo de casa? Quando foi a última vez que leu a publicidade amarrotada no seu correio postal em vez de a deitar logo ao lixo? Agora pense na frequência com que consulta o email. Já imaginou andar o dia todo sem telemóvel? E quantas horas passa no Facebook, Twitter ou LinkedIn? Há alguns anos, a televisão e o marketing directo eram os canais de marketing outbound privilegiados, enquanto que o marketing inbound se limitava aos call centers e às lojas. Mas a Internet mudou tudo isso. Mudou hábitos. Mudou comportamentos. É difícil conjugar verbos como comer, trabalhar, ler, pagar, recrutar e socializar sem ela. Mudou para sempre a forma como se compram e vendem produtos e serviços. Agora nós, consumidores, temos mais opções e expectativas mais elevadas. Queremos tudo o que nos agrada no momento em que nos agrada. E as marcas têm de acompanhar esta evolução. Não só usamos mais as novas tecnologias, como o fazemos ao mesmo tempo: email, telemóvel e redes sociais praticamente em simultâneo. Estamos cientes de que os marketeers recolhem os nossos dados para saberem quando estamos online, onde clicamos, o que compramos e muito mais. E, no fundo, esperamos que estes dados os ajudem a disponibilizar-nos tudo o que precisamos, pois não queremos mais telefonemas de call centers! Mas, hoje em dia, não basta enviar a mensagem certa às pessoas certas no timing mais...

Campanhas de Marketing multicanal

Pesquisa revela que campanhas de marketing expostas simultaneamente em diversos canais têm maior alcance. Um exemplo disso é que 66% dos americanos usam seu laptop ou desktop, enquanto 49% usam seu celular com acesso à web. Por outro lado, se a atenção está fragmentada, é mais difícil ser lembrado. Portanto, uma das razões lógicas é alcançar o melhor resultado, combinando os canais dentro de uma proposta multicanal. Quando o assunto é multicanal, leva a melhor a campanha de marketing que aproveita ao máximo os hábitos de consumo de mídia dos consumidores. É o que revela um estudo divulgado pelo eMarketer. De acordo com o site, as mudanças ocorridas com a proliferação de mídias obrigou as marcas a reavaliar suas campanhas de marketing nos diversos canais. O objetivo, lógico, é alcançar um melhor resultado, combinando canais numa proposta multicanal. Entra na conta também os múltiplos artefatos tecnológicos usados para acessar estes canais como tablets e smartphones. TV, mídia impressa e radio, segundo o eMarketer, não são mais os únicos usados para “exposição de massa”. “A proliferação de aparelhos digitais e canais dão aos profissionais de marketing outras maneiras de chegar até a audiência pretendida”, explica Lauren Fisher, analista do eMarketer. “Essa tática multicanal de publicidade tem se tornado cada vez mais comum, por isso a atenção do consumidor está mais seletiva. Não basta chegar até ele, é preciso ter uma mensagem pertinente e que ela ressoe pelo público”, diz. Uma pesquisa americana de 2011 feita pelo Yahoo! revelou que, diariamente, enquanto assiste TV, 66% dos americanos usam seu laptop ou desktop; e 49% usam seu celular com acesso à web....
Como aproveitar de verdade seu sistema ERP

Como aproveitar de verdade seu sistema ERP

Grande parte dos empreendedores reclamam que não têm sistema ERP completo, que não são atendidos corretamente, e tudo mais. Na realidade, é fácil a percepção de que isso se tornou uma “muleta”, porque pessoas que precisam de sistema pra fazer CRM e controlar resultados geralmente não fariam as devidas análises, e alimentariam seus sistemas nem que tivessem os softwares mais completos do mercado. Controle, custos, CRM são coisas que estão intrínsecas a um negócio saudável, e não a um sistema ou coisa parecida. A intenção de monitorar o crescimento da organização, seja ela do tamanho que for, está diretamente relacionada com o perfil dos líderes do negócio. Coloque um SAP ou qualquer sistema robusto que atenda teoricamente a todos os possíveis requisitos de automação e controle, e ainda assim teremos diversos empresários e funcionários reclamando, dizendo que não têm tempo, que não têm treinamento adequado, etc. “O que um não quer, dois não fazem”. Sistema deve ser alimentado e estudado, compreendido, assim como outras necessidades já têm o seu devido valor, como a área comercial, como a contabilidade, e demais áreas já “consolidadas”. Temos muitas metas de vendas, mas que tal pensarmos em metas de outras maneiras, se evoluirmos para um cenário de controle contínuo e genuinamente interessado em se desenvolver, chegando a valores verdadeiros de rendimento, de lucratividade, e de competência? Então, podemos ser competentes sem muletas?   Compartilhe...
7 motivos para cadastrar seus clientes (CRM)

7 motivos para cadastrar seus clientes (CRM)

Não raras vezes encontramos gerentes ou lojistas dizendo coisas do tipo “meu cliente não tem paciência pra fazer cadastro” ou então “meus vendedores e caixas não têm tempo de fazer CRM”. Sinceramente, é a maior mentira de todos os tempos, porque no fundo a maioria das pessoas é preguiçosa! Será muito mais fácil mudar essa cultura pouco pró-ativa se a gestão incentivar esse cadastro de clientes, desenvolvendo o entendimento de que é possível aproveitar essas informações extremamente valiosas de várias maneiras, especialmente em cenários de loja sem movimento. Para essa inteligência realmente dar certo, os profissionais do varejo precisam ACREDITAR no CRM, na sua utilidade, e no quanto vai ajudar as vendas a curto, médio e longo prazo. Existem várias ações dinâmicas e nada complexas para CRM, claro que somente se os dados estiverem cadastrados de forma correta: 1- ligar ou mandar uma mala direta para o cliente no seu aniversário e em quaisquer datas comemorativas importantes 2- verificar as últimas compras do cliente, e fazer pós-venda, descobrindo se ele gostou do que foi comprado, já possivelmente oferendo produtos parecidos com os que ele já comprara, ou mesmo produtos complementares aos que já haviam sido comprados 3- ligar ou mandar email para clientes que já estão a alguns meses sem comprar, ou seja, fidelizar e vender “para a base”. 4- descobrir qual é o seu ranking de clientes, e pensar em uma ação para seguir conquistando essas valiosas pessoas 5- ter condições que convidar seus clientes especiais para uma promoção, para um coquetel de abertura ou de coleção nova 6- conhecer o ticket médio de cada cliente e seu...