CRM online da Microsoft otimiza performance de equipes de vendas

CRM online da Microsoft otimiza performance de equipes de vendas

A boa gestão de qualquer carteira de clientes passa, inevitavelmente, por uma escolha acertada da ferramenta de CRM (Customer Relationship Management, ou Gerenciamento de Relacionamento com o Cliente, em português) que será utilizada. Um CRM eficiente pode ajudar a reduzir custos e aumentar a lucratividade através da organização e automação dos processos de negócios que gerenciam a fidelidade e a satisfação do cliente nas áreas de vendas, marketing e atendimento ao cliente. Foi pensando nisso que a Microsoft lançou o Microsoft Dynamics CRM Online. A solução foi pensada para ajudar sua empresa a ampliar as vendas e tornar o marketing mais eficaz, por meio de insights sociais, business intelligence e gerenciamento de campanhas, seja na nuvem, seja em local físico ou usando uma combinação híbrida. A ferramenta também oferece aplicativos de CRM em dispositivos móveis e em diferentes plataformas, que permitem que você gerencie o relacionamento com seus clientes de qualquer lugar, além de ferramentas que integram dados e relatórios das mídias sociais diretamente em seu aplicativo de CRM. Com o Microsoft Dynamics CRM Online, a performance da equipe de vendas é otimizada, dada a facilidade com que passa a ser possível acessar os dados dos clientes. Mas a ferramenta não oferece soluções apenas para essa área específica, mas também para varejo, marketing, social, serviços, atendimento ao cliente, fabricação, serviços financeiros e setor público. Para mais informações sobre o produto e baixar uma versão de teste, acesse: http://www.microsoft.com/pt-br/dynamics/crm-test-drive.aspx. Compartilhe...
L’Occitane inaugura minimercado em Florianópolis

L’Occitane inaugura minimercado em Florianópolis

  Com arquitetura inspirada nas feiras de rua, esta é a 40ª loja da bandeira brasileira do grupo A L’Occitane au Brésil abre nos próximos dias sua primeira loja na capital de Santa Catarina. A unidade, em formato de minimercado, terá 9 m² e ficará no Aeroporto Internacional Hercílio Luz.  O mix abrange produtos ligados aos cuidados pessoais e para a casa, compostos por ingredientes naturalmente brasileiros. Do total de lojas até agora, 13 são próprias e 26 são franquias, distribuídas em shoppings de São Paulo, Campinas, Belo Horizonte, Uberlândia, Goiânia, Rio de Janeiro, Vitória e Aracaju. A inspiração arquitetônica para a loja foram os mercados municipais e feiras de rua do País. O quiosque oferecerá produtos femininos das linhas Aguapé, Bromélia, Mandacaru, Jenipapo, Vitória-Régia além de itens masculinos de Araucária, com ilustrações de artistas locais nas embalagens. A L’Occitane au Brésil é a marca brasileira do grupo L’Occitane, criada há cerca de um ano com o intuito de valorizar a produção local e que já conta com 40 unidades. Sob diversas bandeiras, a marca atua em 90 países através de 2,2 mil lojas. Fonte: Mundo do Marketing Compartilhe...
O que você deve analisar antes de selecionar um bom ponto comercial

O que você deve analisar antes de selecionar um bom ponto comercial

Fonte [http://www.bgeh.com.br/artigos] Para localizar e selecionar um bom ponto comercial, é preciso seguir algumas premissas, que variam de acordo com as características de cada negócio. Afinal, é essa análise que vai aumentar as chances de sua unidade estar no lugar certo, no momento certo e com o espaço adequado ao potencial do negócio. Portanto, ao expandir sua rede, analise os seguintes aspectos e aumente as chances de encontrar bons pontos comerciais, adequados às características do seu negócio: – Tipo de Negócio – caso o negócio seja voltado para empresas e não dependa da venda direta ao consumidor, a localização deve privilegiar redução de custos e segurança. Mas caso abrigue a distribuição de produtos, pela questão logística, deve-se priorizar a localização central com os clientes. Porém, se o negócio for voltado ao consumidor final, devem ser analisadas questões como conveniência, proximidade com o consumidor e facilidade de acesso. – Tipo de Consumidor – nas grandes cidades brasileiras, pelo advento da falta de segurança, existe uma maior concentração de compras em shopping centers. Ocorre porém que no comércio popular, voltado para as classes C, D e E, os estabelecimentos localizados em ruas ainda são muito fortes. – Tipo de Cidades – além das características sócio-econômicas, em cidades pequenas e médias com baixos índices de criminalidade ainda é muito comum os estabelecimentos de ruas, mesmo voltadas para consumidores das classes A e B. – Serviços ou vendas? – o segmento de serviços tende a adaptar-se melhor em ruas, pois há mais conveniência para o consumidor – e além disso, os custos de ocupação são menores. No caso de vendas de produtos, a...
Franquear ou Morrer

Franquear ou Morrer

FRANQUEAR OU MORRER Por Daniel Zanco – Universo Varejo O título do artigo pode parecer um tanto quanto radical, mas torna‐se perfeitamente aplicável em alguns segmentos do varejo brasileiro. Ao analisarmos o nosso cenário econômico e o momento do mundo, percebemos que a competição tende a se acirrar ainda mais no nosso mercado. O Brasil passa por um intenso processo de descentralização do potencial de consumo, onde o nordeste e regiões afastadas do eixo Rio ‐ São Paulo crescem a taxas muito maiores e com um potencial de consumo enorme, fazendo com que inúmeras redes nascidas nos grandes centros concentrem suas estratégias de crescimento a milhares de quilômetros de suas bases. Por outro lado, operações internacionais globais olham para o Brasil como um celeiro de oportunidades, uma terra com democracia, potencial de crescimento, cultura de fácil adaptação e moeda em fortalecimento. Temos aqui um cenário perfeito para que diversos players de outros países ‐ cansados do crescimento vegetativo europeu e receosos com as recentes instabilidades da economia norte americana – façam de tudo para fincarem suas bandeiras em terras tupiniquins. Neste contexto, o empresário varejista brasileiro é obrigado a crescer para não morrer, ganhar escala e escopo para poder competir num novo ambiente mais competitivo e, quando a captação de recursos não é tão simples quanto parece e a adaptação regional muitas vezes pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso, as franquias aparecem como a solução perfeita para o problema. Crescer usando o capital de terceiros e o conhecimento local dos operadores pode dar às empresas varejistas a chance de acelerar sua expansão, imprimir uma marca...